Ivanov reitera que Rússia se opõe a qualquer ataque contra o Irã

O secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional da Rússia, Igor Ivanov, reiterou neste domingo, em Teerã, que seu país se opõe a qualquer uso da força contra o Irã por causa de seu programa nuclear, informou a televisão estatal.Ivanov, em visita a Teerã, fez tal declaração durante uma reunião com o secretário do Conselho Supremo da Segurança Nacional iraniano, Ali Larijani, que é também o principal negociador do país no caso nuclear."A Rússia, ao contrário dos Estados Unidos, acredita que a questão nuclear iraniana deve ser solucionada por meio do diálogo. Qualquer uso da força tornará mais complicado o caso e provocará tensões na região", disse Ivanov.Também reafirmou que a Rússia ajudará o Irã a finalizar as instalações de seu reator nuclear em Bushehr.Ivanov chegou na noite de ontem a Teerã para uma visita oficial de dois dias. Ele debate com as autoridades iranianas a situação da crise despertada pelo programa nuclear iraniano.Durante sua estadia, Ivanov se reunirá também com o diretor do Organismo Iraniano de Energia Atômica, Gholamreza Aghazadeh.Rússia e China são membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e se opuseram, até agora, a impor sanções econômicas ao Irã como meio de pressão para conseguir que Teerã suspenda suas atividades nucleares, como desejam os EUA e os países europeus.A Rússia está construindo uma usina nuclear em solo iraniano na localidade de Bushehr, no Golfo Pérsico. A central começou a ser erguida em 1975 pela empresa alemã Siemens, mas não foi concluída.Em 1995, as autoridades russas e iranianas assinaram um acordo, avaliado em US$ 780 milhões, para terminar conjuntamente a construção da usina. No entanto, um novo contrato, assinado três anos depois por cerca de US$ 1 bilhão, deixou todas as obras da central a cargo de especialistas russos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.