Já começaram as manifestações anti-Bush na Inglaterra

Oponentes da guerra no Iraque estão lançando seus protestos contra a visita do presidente George W. Bush na véspera de sua chegada. Enquanto um manifestante solitário escalava os portões do palácio de Buchingham, onde Bush e sua mulher, Laura, ficarão hospedados, o grupo Stop the War Coalition apresentou, hoje, uma petição com 85.000 assinaturas pedindo que o governo cancele a visita.O veterano da guerra do Vietnã e membro do Stop the War, Ron Kovic, entregou o imenso abaixo-assinado ao gabinete do primeiro-ministro Tony Blair , no número 10 da Downing Street.?O que está acontecendo no Iraque é a imagem no espelho do pesadelo que aconteceu no Vietnã. Isto é inaceitável e nós não seremos responsáveis por isto?, disse quando chegava para entregar resmas de papel branco amarradas com uma fita vermelha.Os protestos planejados pelo Stop the War devem terminar com uma marcha através da cidade, amanhã, que os organizadores esperam atrair pelo menos 60.000 e que o temor do terrorismo transformou numa complicada operação de segurança.A polícia enfrentou seu primeiro teste hoje, quando uma mulher escalou os portões do palácio de Buckingham, um ponto focal nas operações de segurança, para pendurar uma bandeira americana de cabeça para baixo com a mensagem ?Bush não é bem-vindo?. Pendurar a bandeira de cabeça para baixo é um símbolo de situação perigosa. A polícia imediatamente cercou a área em frente ao palácio, que normalmente é aberta ao público, e começou a negociar com a manifestante para descer do portão.A segurança parece estar afetando os planos para o tempo de Bush em Londres. A rainha Elizabeth II esquecerá o tradicional desfile no qual acompanha a maioria dos visitantes de estado em carruagem aberta pelo Mall e a polícia negou permissão para que manifestantes usem, como sempre, a conhecida rota que passa pela frente das Casas do Parlamento.A oposição à guerra na Inglaterra ultrapassa diferenças sociais e de gerações ? crianças, lagisladores e anarquistas preparam-se para juntar-se aos ativistas pacifistas nas ruas.A capital britânica se converterá numa fortaleza com cercade 14 mil agentes armados a partir de amanhã, num esquema de segurança semprecedentes desde o fim da 2ª Guerra. De acordo com a imprensabritânica, haverá mais policiais armados na cidade do quedurante os últimos dias da guerra, em 1945. As forças de segurança já reforçaram a vigilância em portos eaeroportos, especialmente no de Heathrow, e na estação deWaterloo, aonde chega o trem Eurostar procedente de Paris. Osubcomissário da Polícia Metropolitana de Londres, Andy Trotter,se disse preocupado com a viagem de Bush por causa da ameaçaterrorista e possíveis distúrbios nos atos de protesto contra opresidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.