Já são 42 os soldados mortos em atentado no Paquistão

Subiu para 42 o número de soldados do Exército do Paquistão mortos nesta quarta-feira, no ataque à bomba de um terrorista suicida contra um campo de treinamento localizado no distrito de Mardan. Segundo fontes militares, há dezenas de feridos. Mardan, no noroeste do país, uma das regiões mais violentas e instáveis. O porta-voz das Forças Armadas paquistanesas, general Shaukat Sultan, confirmou 24 mortes. Mas fontes militares informaram que 42 soldados morreram. Fontes militares de Mardan disseram que o suicida detonou a bomba quando cerca de 400 soldados do Regimento Punjab, do Exército do Paquistão, realizavam exercícios de treinamento. As mesmas fontes afirmaram que o presidente do Paquistão, General Musharraf, planejava ir a Mardan nesta quarta-feira. A visita pode ser adiada. O atentado pode ter sido cometido por rebeldes paquistaneses, apoiados pelos talebans. Seria uma reação ao ataque que matou 83 supostos membros da milícia fundamentalista na região de Bajaur, perto da fronteira com o Afeganistão, no dia 30 de outubro. Matéria ataliza às 11hs15

Agencia Estado,

08 Novembro 2006 | 05h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.