Já são 71 os mortos em estância turística indonésia

Em meio a dias de fortes chuvas o transbordamento de um rio causou a morte de 71 pessoas em uma popular estância turística na ilha indonésia de Sumatra, informaram autoridades locais nesta segunda-feira. Cinco dos 71 mortos são estrangeiros e mais de cem pessoas estão desaparecidas. As inundações foram registradas na noite de ontem em Bohorok, perto de Medan, capital da província de Sumatra. Um rio que corta as montanhas próximas transbordou e arrastou cabanas que abrigam turistas que viajam à região para visitar uma famosa reserva de orangotangos. "Nós encontramos 66 corpos", lamentou Syamsul Arifin, chefe de polícia do distrito de Langkat, em conversa com jornalistas na reserva. A declaração foi feita horas antes da confirmação da morte de mais cinco indonésios, elevando a 71 o total de mortos. De acordo com o sargento Togar Sinagar, os estrangeiros mortos são dois chineses, um alemão, um australiano e um cingapureano. "Madeira e rochas atingiram meu corpo e me deixaram atordoado. Sobrevivi apenas porque vizinhos me tiraram do rio", disse um sobrevivente que identificou-se apenas como Hendri. Ele conversou com jornalistas dentro de uma mesquita, onde velava os corpos de seus pais, mortos na enchente. "Eu vi meu pai e minha mãe serem levados pela corrente", recorda. De acordo com ele, a forte correnteza durou dez minutos, arrastou "milhares de pedaços de madeira da montanha Leuser e derrubou dezenas de cabanas às margens do rio". Muitos corpos, inclusive os dos estrangeiros, serão levados para o Hospital Perngadi, em Medan, amanhã pela manhã, disse uma fonte hospitalar sem especificar números. De acordo com as autoridades locais, o incidente causou o desaparecimento de outras 108 pessoas. Não há informações sobre a existência de estrangeiros entre os desaparecidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.