Jackson acusa Toyota de racismo e propõe boicote

O reverendo Jesse Jackson, figura religiosa popular dos Estados Unidos, propôs nesta quarta-feira um boicote contra a montadora japonesa Toyota.De acordo com ele, a empresa exclui negros de seus quadros de diretores, além de fazer propagandas racistas. Jackson esteve nesta quarta em frente à Toyota de Torrance, na Califórnia (EUA), para protestar contra o que chamou de campanha racista no lançamento do novo utilitário esportivo RAV4. O anúncio colocado em cartões postais e distribuídos em casas noturnas e cafés é o centro da polêmica.A foto da publicidade mostra somente um close da boca de um negro sorrindo com um dente de ouro que reflete o RAV4. "Só falta a melancia", disse o reverendo depois do encontro que teve com executivos da montadora, que defendeu a campanha "voltada para o público jovem". A empresa refere-se à moda jovem de pintar alguma gravura no dente. De qualquer forma, Don Esmond, vice-presidente e gerente geral da Toyota nos EUA, pediu desculpas pela propaganda. Ele disse que não viu os cartões antes da distribuição. Se tivesse visto, garante que não os aprovaria. A empresa pretende interromper a campanha com cartões. O reverendo quer que a montadora invista um porcentual maior de seu orçamento publicitário, de US$ 470 milhões, em firmas de propaganda de classes menos favorecidas. De acordo com ele, as outras montadoras fazem muito mais isso do que a Toyota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.