Jaguar demite empregados que transmitiam e-mails pornográficos

A Jaguar demitiu ontem 11 empregados da fábrica de Merseyside, no Reino Unido, e investiga outros 19, sujeitos a uma possível punição disciplinar. O motivo foi a descoberta de que eles estavam trocando e-mails com material não apropriado para o ambiente de trabalho.A atitude da empresa demonstra a linha dura que muitas outras companhias estão tomando em relação ao abuso de alguns funcionários com a correspondência eletrônica. Os e-mails só foram descobertos depois de terem sido enviados erroneamente para a Ford dos Estados Unidos, controladora da Jaguar.A Jaguar informou ontem que as trinta pessoas sob investigação transmitiram os e-mails com material pornográfico no sistema usado para comunicação da empresa e firmas contratadas. Depois de uma auditoria interna, foram feitas as 11 demissões. Os funcionários dispensados poderão recorrer da atitude da empresa. As informações são do Financial Times.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.