Reprodução/Agência Senado
Reprodução/Agência Senado

Janaína Paschoal quer participar de processo contra Nicolás Maduro

Coautora do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, a advogada fará uma solicitação ao TPI porque entende que suas manifestações podem ajudar para a solução da crise no país vizinho

O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2017 | 17h42

As professoras brasileiras de direito penal e direito internacional Janaína Paschoal e Maristela Basso vão ao tribunal de Haia, na Holanda, contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

As docentes da USP apresentarão ao Tribunal Penal Internacional uma solicitação de "amicus curiae" nas denúncias formuladas por Colômbia e Chile contra o líder chavista. Na petição, as professoras explicitam as razões pelas quais entendem que suas manifestações vão contribuir para a solução da crise no país vizinho.

Coautora do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, Janaína Paschoal manifestou-se contra Maduro diversas vezes no Twitter. No início da semana, ela enviou uma mensagem ao presidente dos EUA, Donald Trump, pedindo intervenção na Venezuela. Não houve resposta. Mais tarde, o tuíte foi apagado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.