Japão anuncia fundo para controlar radiação na população de Fukushima

Também estão previstos revisões médicas periódicas em moradores de regiões expostas à radiação

Efe

24 de junho de 2011 | 15h32

Tóquio - O Governo japonês anunciou nesta sexta-feira que planeja criar um fundo de 100 bilhões de ienes (873 milhões de euros) para melhor controlar a radiação à qual estão expostos os habitantes de Fukushima, onde está a usina nuclear afetada pelo desastre de 11 de março.

O plano atribui às autoridades da província de Fukushima a tarefa de realizar revisões médicas periódicas em cerca de dois milhões de moradores da região, incluindo os evacuados, durante os próximos 30 anos, informou a agência local "Kyodo".

O governo provincial, que por conta própria decidiu distribuir dosímetros a cerca de 280 mil crianças, teria a incumbência de analisar os níveis de radiação acumulada e realizar exames de sangue em todos os afetados que desejarem.

O Governo espera ter aprovadas as linhas básicas do orçamento no fim deste mês e apresentá-lo ao Parlamento em meados de julho, acrescentou a "Kyodo".

O anúncio coincide com as recomendações publicadas hoje por um grupo médicos e pesquisadores japoneses sobre o alto índice de exposição acumulada de radiação interna de pessoas que vivem na província.

O estudo, que analisou a comida e a urina de 15 residentes das cidades de Iitate e Kawamata, a cerca de 40 quilômetros da usina nuclear de Fukushima, estima que seus níveis de exposição interna foram de até 3,2 milisievert durante pelo menos dois meses.

Um dos pesquisadores, Nanao Kamada, recomendou que a população evite comer verduras cultivadas nas zonas nas quais foram detectados altos níveis de radiação.

Tudo o que sabemos sobre:
Fukushimaradiação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.