Japão apóia novas sanções da ONU contra o Irã

O governo japonês expressou neste domingo, 25, seu apoio às novas sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU ao Irã, que considerou necessárias por sua recusa em suspender suas atividades de enriquecimento de urânio.Em um comunicado, o ministro japonês do Exterior, Taro Aso, qualificou essas sanções como uma mostra da "postura firme da comunidade internacional" sobre o conflito nuclear iraniano."Nosso país crê que é necessária uma resposta decisiva ao assunto nuclear iraniano com vistas à manutenção do sistema de não proliferação nuclear, sua relação com o conflito nuclear da Coréia do Norte e a estabilidade no Oriente Médio, sobre a qual tem uma grande influência o seu ministro de energia", disse Aso.Os 15 membros do CS da ONU votaram a favor da Resolução 1.747, a terceira que esse órgão aprova com a finalidade de pressionar o Irã para que suspenda seu programa nuclear.A resolução exige que o Irã suspenda suas atividades de enriquecimento de urânio, assim como a fabricação de um reator de água pesada, e esclareça as dúvidas do Organismo Internacional de Energia Atômica (OIEA) sobre os fins pacíficos de suas atividades nesta matéria.Os Estados Unidos e seus aliados consideram que as atividades nucleares do Irã estão dirigidas à fabricação da bomba atômica, enquanto Teerã insiste que seu propósito é pacífico, para geração de eletricidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.