Japão aprova plano para enviar tropas ao Iraque

O Gabinete do primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, aprovou um plano para enviar soldados para ajudar na reconstrução do Iraque, no que será o maior contingente de tropas a ser enviado ao exterior desde a 2ª Guerra Mundial. Após a reunião de Gabinete, Koizumi fez um pronunciamento à nação para explicar porque ele está seguindo adiante com o polêmico plano, que os líderes de oposição dizem que poderá arrastar as tropas para combates reais e violar a constituição pacifista pós-guerra do Japão. O ministro da Agricultura, Yoshiyuki Kamei, confirmou que o Gabinete havia aprovado o plano, que foi divulgado pela mídia japonesa. As tropas japonesas serão enviadas ao sudeste do Iraque para trabalharem na restauração dos serviços de água, oferecer assistência médica e humanitária e ajudar na reconstrução de escolas e outras obras de infra-estrutura. O envio das tropas, esperado para começar ao longo do próximo mês, vai envolver elementos das forças aérea, terrestre e marítima do Japão. De acordo com a mídia, 600 soldados das forças terrestres serão enviados ao Iraque, junto com veículos blindados e até seis navios da Marinha, incluindo destroyers. Oito aeronaves, incluindo três Hércules C130 (aviões de transporte), também serão enviados à região. O número total de soldados japoneses a serem enviados ao Iraque seria de cerca de 1.000. Enfrentando uma forte pressão política e o ceticismo público, Koizumi adiou o envio das tropas ou anunciou outros detalhes, mas sempre reafirmou o compromisso de enviar os soldados quando a situação na região ficasse segura o suficiente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.