JIJI PRESS / AFP
JIJI PRESS / AFP

Japão declara estado de emergência nacional por coronavírus

Decisão de incluir todo o país foi tomada pelo primeiro-ministro após aumento do número de contaminações e críticas

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2020 | 16h20

TÓQUIO - O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, declarou nesta quinta-feira, 16, o estado de emergência para todo o Japão, após ser pressionado a tomar medidas mais drásticas para controlar a disseminação do novo coronavírus no país. 

O ministro da Saúde japonês, Katsunobu Kato, disse que as autoridades estão preocupadas com a disseminação rápida das infecções, que aumentaram 2,2 vezes entre o dia 7 e quarta-feira. 

“Estamos muito preocupados com o risco de as pessoas que viajarão durante a Semana Dourada poderem levar o vírus a locais que ainda não tiveram tantos casos”, disse Kato, referindo-se a uma junção de quatro feriados nacionais em que as pessoas viajam em massa. 

“Precisamos fazer o que for necessário para reduzir contatos entre pessoas em pelo menos 70% e, preferencialmente, 80%”, disse Abe, apelando à população que cancele planos de viagem.

Com mais de 9 mil infecções de coronavírus e quase 200 mortes em todo o território, o governo japonês declarou na semana passada emergência em Tóquio e outras seis áreas, incluindo o oeste de Osaka, mas outras regiões pediram para ser incluídas em razão do temor ao vírus.

Embora mais brando do que um isolamento, o estado de emergência imposto até 6 de maio deu às autoridades mais poder para pedir às pessoas que fiquem em casa e os negócios a fecharem, e agora cobre cerca de 44% da população. As leis japonesas proíbem a aplicação de multas a quem não cumprir o isolamento social. 

Abe está sendo pressionado a fazer mais para controlar o coronavírus em meio a percepções de que sua reação tem sido fraca e tardia, o que vem afetando seu índice de aprovação.

Durante uma entrevista coletiva, Abe disse que pretende apresentar um projeto de lei para a distribuição de 100 mil ienes (R$ 4,8 mil) a cada cidadão, como forma de compensar o impacto das novas restrições, desistindo de um plano anterior que previa repasses para somente algumas famílias em dificuldades. O projeto de orçamento suplementar do governo havia contingenciado fundos para pagamentos em dinheiro de 300 mil ienes (cerca de R$ 14 mil) para toda residência cuja renda tivisse sido afetada pelo vírus.

A mudança vem na esteira de apelos crescentes de parlamentares governistas e opositores por medidas mais ousadas de Abe para ajudar as pessoas a suportarem o impacto da pandemia. O coronavírus vem afetando duramente a terceira maior economia do mundo. O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão poderá se contrair a um ritmo anualizado de 22% no trimestre atual, segundo cálculo de economistas do UBS. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

O Japão enfrenta uma longa batalha, e os governadores precisarão adaptar suas reações às necessidades locais, disse Koji Wada, especialista que está aconselhando formuladores de políticas.

“Ainda estamos à beira da guerra da covid-19”, acrescentou Wada, professor da Universidade Internacional de Saúde e Bem-Estar Social da capital. “Ainda estamos só no começo.” / REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
Japão [Ásia]coronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.