AP
AP

Japão deporta ativistas chineses na tentativa de aliviar tensões

14 foram presos após desembarcarem e fincarem uma bandeira chinesa em disputado território

Reuters

17 de agosto de 2012 | 07h21

TÓQUIO - O Japão enviou para casa nesta sexta-feira, 17, um grupo de ativistas chineses detidos após desembarcarem em uma ilha disputada por Tóquio e Pequim, mas a ira na China e na Coreia do Sul mostra que o mais recente impasse territorial está longe de terminar.

Veja também:

linkJapão vai deportar ativistas após detenção em ilha, diz agência

linkChina exige que Japão liberte ativistas detidos em ilhas

forum CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK

Japão e China, as duas maiores economias da Ásia, enfrentam tensões nas relações diplomáticas desde que os ativistas foram detidos na quarta-feira após usarem um barco para chegar às ilhas inabitadas conhecidas como Senkaku no Japão e Diaoyu na China.

Sete ativistas foram enviados de Okinawa para Hong Kong, afirmou o Departamento de Imigração, e o resto do grupo de 14 integrantes deve voltar para casa de barco mais tarde nesta sexta-feira.

A TV japonesa mostrou as ativistas fazendo o sinal "V", de vitória, enquanto eram levados ao aeroporto.

O ministro japonês das Finanças, Jun Azumi, adiou uma viagem à Coreia do Sul para uma reunião com seu homólogo agendada para 24 de agosto por causa de uma visita feita pelo presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, a outras ilhas disputadas há uma semana.

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOCHINESESTENSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.