Japão detecta sinais de possível fissão nuclear em usina

A Agência de Segurança Industrial e Nuclear (Nisa, na sigla em inglês) do Japão informou que foram detectados possíveis sinais de fissão nuclear em um dos reatores da usina Fukishima Daiichi, o que aumentaria o risco de emissões radioativas na central abalada pelo terremoto e tsunami em março. Mas as autoridades e especialistas disseram que os volumes encontrados são tão pequenos que não devem causar problemas.

REGINA CARDEAL, Agência Estado

02 de novembro de 2011 | 12h23

Segundo a agência, foram encontradas pequenas quantidades de xenônio 133 e 135, ambos subprodutos de fissão nuclear, no reator. Nenhuma destas substâncias representa um risco à saúde pública. O xenônio 133 tem vida de cinco dias e o xenônio 135 dura somente nove horas, disse um porta-voz da Nisa. Ele afirmou que qualquer reação nuclear ocorreria apenas numa base localizada.

Um retorno da fissão nuclear seria um revés para a operadora da usina, a Tokyo Electric Power Co (Tepco), que espera deixar os reatores numa condição segura conhecida como parada fria até o fim do ano. A existência do xenônio pode indicar que uma reação nuclear ainda está ocorrendo dentro da unidade. As informações são da Dow Jones. (Regina Cardeal)

Tudo o que sabemos sobre:
Japãofissão nuclearFukushima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.