Reuters
Reuters

Japão diz que dois reatores podem voltar a funcionar com segurança

Declaração demonstra tendência para abertura de usinas fechadas para manutenção, desde o acidente em Fukushima

AE, Agência Estado

13 de abril de 2012 | 11h26

TÓQUIO - O governo japonês concluiu nesta sexta-feira, 13, que dois reatores nucleares no oeste do país estão seguros para voltar a funcionar, o que deve significar uma certa tendência para a abertura de usinas fechadas para manutenção, desde o acidente na usina Fukushima Daiichi em março do ano passado.

Veja também:

Japão: ministros ainda não decidiram sobre reator nuclear

O ministro de Comércio e Indústria, Yukio Edano, um dos quatro membros do gabinete que tomou a decisão, também descreveu a operação dos reatores como necessária, para assegurar um fornecimento estável de energia e evitar danos à economia por causa de interrupções de energia. Ele disse também que vai visitar a cidade de Fukui, onde estão instalados os dois reatores, para buscar a "compreensão" da comunidade local sobre o reinício das atividades na usina.

A decisão é um passo à frente nos esforços para o reinício da geração de energia nos reatores japoneses antes da chegada dos sufocantes meses de verão, quando a demanda por energia atinge seu pico. Mas a oposição à medida pode prejudicar os planos do governo.

O possível reinício das atividades nos reatores 3 e 4 da usina Oi, em Fukui, é discutido no governo desde o início de abril, depois que dois organismos distintos aprovaram os resultados do primeiro estágio de testes de estresse sobre a resistência das usinas a desastres naturais.

Com a decisão tomada nesta sexta-feira, o foco do governo será agora voltado para a obtenção de apoio para a reabertura dos reatores junto às comunidades locais. Edano disse que irá para Fukui no sábado para explicar pessoalmente a posição do governo aos líderes locais.

"Não há a decisão final para a reabertura", afirmou Edano, deixando claro que ainda há vários obstáculos até que os reatores voltem a funcionar. "Vamos manter nossos esforços para conquistar a compreensão das populações locais."

Edano é um dos quatro ministros - juntamente com o primeiro-ministro Yoshihiko Noda, o chefe de gabinete Osamu Fujimura e o ministro do Meio Ambiente Goshi Hosono - encarregado de delinear padrões de segurança e tomar a decisão final sobre a reabertura dos reatores.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãousinas nuclearesreabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.