Hiro Komae/AP
Hiro Komae/AP

Japão diz que usina de Fukushima atingiu desligamento frio

Notícia representa uma medida importante para a resolução da pior crise nuclear em 25 anos

REUTERS

16 de dezembro de 2011 | 07h52

O Japão declarou que a usina nuclear de Fukushima, danificada por um terremoto e tsunami em março, atingiu o estado de desligamento frio nesta sexta-feira, 16, uma medida importante para a resolução da pior crise nuclear em 25 anos no mundo.

A usina de Fukushima Daiichi, localizada 240 quilômetros a nordeste de Tóquio, foi destruída em 11 de março por um forte terremoto e um gigantesco tsunami que desativaram seus sistemas de resfriamento, provocando o derretimento das barras de combustível, vazamentos radioativos e retiradas massivas da população da área.

Ao anunciar a muito aguardada notícia, o primeiro-ministro Yoshihiko Noda buscou encerrar o assunto sobre a fase de crise emergencial na usina, apesar de especialistas afirmarem que poderá demorar 40 anos até que a limpeza no local seja finalizada.

"Os reatores atingiram um estado de desligamento frio", disse o premiê durante uma reunião sobre a reposta do governo à emergência nuclear.

"Uma condição estável foi alcançada. Julgamos que o próprio acidente na usina foi encerrado," afirmou, observando que os índices de radiação nos limites da usina poderiam ser mantidos em níveis baixos, mesmo se houver "incidentes imprevisíveis".

A fase de desligamento frio ocorre quando a água usada para resfriar as barras de combustível nuclear permanece abaixo do ponto de ebulição, impedindo que o combustível se reaqueça. Um dos principais objetivos da operadora da usina, a Tokyo Electric Power (Tepco), era trazer os reatores para um estado de desligamento frio até o final do ano.

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOFUKUSHIMADESLIGAMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.