Japão e China concordam em retomar diálogo gradualmente

O Japão e a China concordaram em retomar o diálogo sobre amplos aspectos das relações bilaterais, dando um passo importante para acabar com as dificuldades nas relações bilaterais que elevaram as tensões marítimas e prejudicaram o comércio e o investimento entre as duas maiores economias da Ásia.

Estadão Conteúdo

07 Novembro 2014 | 08h49

O acordo, anunciado pelo Ministério das Relações Exteriores do Japão, abre caminho para a primeira reunião entre o presidente chinês, Xi Jinping, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Ambos tomaram o poder há quase dois anos. Funcionários dos dois governos agora tentam agendar uma reunião bilateral durante a cúpula econômica regional em Pequim no início da próxima semana, de acordo com autoridades japonesas.

As relações foram gravemente tensas ao longo dos últimos três anos, devido a uma disputa sobre um grupo de ilhas desabitadas no Mar da China Oriental, além dos conflitos durante a história da Segunda Guerra Mundial.

Respondendo aos apelos de autoridades e especialistas dos EUA e de outras nações preocupadas com a perigosa escalada das tensões marítimas, os dois países concordaram em criar um mecanismo de gestão de emergência para evitar acidentes no mar. Eles também se comprometeram a cooperar para evitar uma maior deterioração da situação do Mar da China Oriental, apesar de reconhecerem que eles têm "visões diferentes" sobre a condição das ilhas, conhecidas como Senkaku no Japão, que as administra, e Diaoyu na China, que também reivindica a soberania.

"Nós confirmamos que vamos continuar a desenvolver o relacionamento mutuamente benéfico com base no interesse estratégico comum", disse o Ministério das Relações Exteriores do Japão, em um comunicado. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
JapãoChinadiálogo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.