Japão e Coreia do Norte discutem sequestros de japoneses

Autoridades japonesas e norte-coreanas se reuniram nesta terça-feira,em Pyongyang, na Coreia do Norte, pela primeira vez em 10 anos, para avaliar o progresso na investigação do destino de cidadãos japoneses sequestrados nas décadas de 1970 e 1980.

Estadão Conteúdo

28 de outubro de 2014 | 18h33

A questão tem sido um grande obstáculo no relacionamento entre as duas nações, que não têm relações diplomáticas formais.

A delegação japonesa, liderada por Junichi Ihara, chefe de assuntos da Ásia e Oceania do Ministério de Relações Exteriores do Japão vai ficar na Coreia do Norte por quatro dias.

Depois de anos de negação, a Coreia do Norte admitiu em uma cúpula em 2002 que agentes haviam sequestrado 13 japoneses, principalmente para treinar espiões na língua e na cultura japonesa. O país declarou que permitiu que cinco deles retornassem ao Japão naquele ano e que os outros tinham morrido. O Japão acredita que centenas podem ter sidos sequestrados e alguns ainda podem estar vivos.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que a delegação está sendo enviada para transmitir que a resolução do problema é uma alta prioridade para o país. Ele prometeu

não descansar até que todos os sequestrados sejam devolvidos ao Japão. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.