Japão e Coreia do Sul oferecem ajuda de emergência ao Chile

Países podem enviar equipamentos médicos e de resgate

Efe,

28 de fevereiro de 2010 | 03h16

Os governos do Japão e da Coreia do Sul expressaram hoje sua disposição a enviar ajuda de emergência ao Chile após o grave terremoto deste sábado de 8,8 graus na escala Richter, que causou centenas de mortos.

Os governos dos países asiáticos realizaram reuniões de emergência por causa do terremoto no Chile, que provocou um alerta de tsunami no Oceano Pacífico, pela possibilidade de ondas de até três metros de altura. Segundo a agência japonesa "Kyodo", o ministro de Exteriores, Katsuya Okada, expressou a disposição do Governo japonês de enviar equipamentos médicos e de resgate ao Chile.

 

Em Seul, o governo sul-coreano também celebrou uma reunião urgente para debater a possibilidade de enviar uma equipe de resgate com 41 membros e outra ajuda de emergência ao Chile, segundo a agência sul-coreana "Yonhap". Em comunicado, o Ministério de Exteriores sul-coreano expressou suas "mais sentidas condolências ao Governo do Chile e a sua população pelos danos causados pelo terremoto".

 

Agência Meteorológica da Coreia do Sul rebaixou a possibilidade de um tsunami no litoral devido à velocidade das ondas e à topografia do país, e disse que se espera que "não haja impacto" na península coreana.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoChileJapãoCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.