Japão e UE oferecem ajuda às vítimas de terremoto na China

Equipes de médicos e resgate, helicópteros e reservas de água já estão preparados para serem enviados

Efe,

13 de maio de 2008 | 04h05

O Japão e a União Européia ofereceram nesta terça-feira, 13, o envio de ajuda às vítimas do terremoto que sacudiu na segunda-feira a província sudoeste chinesa de Sichuan, deixando pelo menos 10 mil mortos.  Veja também:De Pequim, Cláudia Trevisan fala sobre o terremoto Ajuda chega ao epicentro do terremoto na ChinaJovens soterrados por terremoto na China 'gritavam por ajuda'Bush oferece ajuda às vítimas de terremoto na ChinaPremiê chinês pede 'calma, confiança, coragem e organização' Fotos do terremoto  Caminho da tocha pode ser mudado após terremoto na ChinaVídeo com imagens do terremoto  "A China é nosso vizinho e está sofrendo um dano significativo, portanto queremos fazer por eles tudo que pudermos", disse nesta terça-feira o ministro de Relações Exteriores japonês, Masahiko Komura, segundo a agência local de notícias Kyodo. "Vamos ver o que nos pedem, porque há países que preferem fazer as coisas por conta própria. Nós estaremos dispostos a responder em qualquer momento", acrescentou. A UE enviou uma carta ao primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, oferecendo ajuda. "A UE está disposta a apoiar seu trabalho no que puder, e nossos especialistas em trabalhos humanitários já estão em alerta para ajudar se for necessário", assinalou o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso. "Acompanho com grande preocupação as notícias sobre o grave terremoto que atingiu o distrito de Wenchuan, na província de Sichuan", disse Durão Barroso na mensagem, enviada na segunda-feira. O Governo japonês já preparou o envio de material de emergência, equipes de especialistas médicos e de resgate, helicópteros e reservas de água, além de alimentos e cobertores, segundo a Kyodo. O primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda, enviou na segunda-feira uma mensagem de apoio através da Embaixada chinesa no Japão e reiterou que seu Governo "está preparado para ajudar caso seja necessário". Empresas japonesas O terremoto de segunda-feira, de 7,8 graus de magnitude na escala aberta de Richter, afetou várias empresas japonesas que possuem instalações na província de Sichuan. Algumas delas, como a Toyota e a Hitachi, foram obrigadas a paralisar sua produção de maneira temporária, segundo informa nesta terça-feira o jornal econômico Nikkei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.