Japão eleva crise nuclear para 5 em escala de gravidade

O acidente nuclear na usina em Fukushima está agora no mesmo nível de seriedade do acidente de 1979 em Three Mile Island, na Pensilvânia, Estados Unidos, na escala internacional de acidentes nucleares, disse hoje a agência de segurança nuclear do Japão. Após avaliação da extensão dos danos nos combustíveis dos reatores da usina, a agência elevou o grau do acidente de quatro para cinco.

CYNTHIA DECLOEDT, Agência Estado

18 de março de 2011 | 09h48

O primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, prometeu revelar para a comunidade internacional toda a informação possível sobre a crise nuclear após reunir-se com Yukiya Amano, chefe da Agência Internacional de Energia Atômica das Nações Unidas (AIEA).

Amano disse que a batalha do Japão para estabilizar a situação na usina em Fukushima é "uma corrida contra o tempo" e que é importante o envolvimento da comunidade internacional nos esforços para conter um acidente nuclear mais grave. Amano afirmou que as medidas adotadas pelo Japão para retirar pessoas da área próxima à usina estão dentro dos critérios da AIEA.

Amano disse ainda que uma equipe da AIEA será despachada para próximo da usina "nos próximos dias" a fim de monitorar os níveis de radiação. Ele afirmou que uma equipe de quarto peritos examinou os níveis de radiação em Tóquio nesta manhã. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoterremotocrise nuclearambiente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.