Kyodo/Reuters
Kyodo/Reuters

Japão encontra combustível nuclear fundido em reator de Fukushima

Seis anos após desastre causado por terremoto, situação na central atômica ainda é crítica

O Estado de S. Paulo

23 Julho 2017 | 06h34

 

A proprietaria da central nuclear de Fukushima, no litoral norte do Japão, detectou prováveis restos de combustível nuclear fundido, junto a escombros na base do reator 3 da usina acidentada, após o último exame feito por um robô no interior da unidade nesta semana.

 

O robô anfíbio, introduzido esta semana no interior do reator, fotografou o que “provavelmente são materiais fundidos e cimentados”, informou em um comunicado a Tokyo Electric Power Company (TEPCO), proprietária da central e responsável por lidera os esforços para a neutralização dos dano causados pelo colapso da usina. A espessura do material, composto pela mistura de urânio e plutônio, seria de um a dois metros, e estaria submerso em água – o que dificulta a sua retirada.

  Os reatores 1, 2 e 3 da usina nuclear de Fukushima sofreram com um gravíssimo processo de fusão após o terremoto de março de 2011, que atingiu a costa japonesa. Seis anos após o desastre, o maior do setor junto explosão em Chernobyl, na antiga União Soviética em 1986, a área dos reatores ainda emite níveis extremos de radiação, o que impede a aproximação de seres humanos. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.