Japão endurecerá na Alfandegárias à Coréia do Norte

O Governo japonês endurecerá a aplicação de sua legislação comercial quanto às normas alfandegárias para que suas sanções econômicas tenham um maior impacto sobre a Coréia do Norte.O objetivo é punir com maior efetividade o regime de Pyongyang por causa do teste nuclear realizado em 9 de outubro, que provocou a imposição de sanções econômicas por parte do Japão.Segundo a "Kyodo", que cita fontes oficiais, o Governo japonês pretende punir com penas de prisão os capitães de navio ou pilotos de avião que façam declarações falsas na alfândega sobre as cargas que levam a bordo.Também prevê aumentar em até cinco anos as penas para os exportadores que mintam sobre os bens que comercializam. Até agora, os pilotos e os capitães só podiam ser punidos com multas de ¥ 500 mil (cerca de US$ 4.100) e os exportadores, com um ano de prisão e multas de ¥ 1 milhão (US$ 8.200).De acordo com as fontes oficiais japonesas, serão realizados também controles mais estritos sobre as exportações de maquinaria que possa ser desviada para programas militares, como os que servem para desenvolver armas nucleares.A intenção do Governo japonês é que a reforma da atual normativa aduaneira possa ser aprovada na sessão parlamentar que se inicia na próxima quinta-feira, de acordo com a "Kyodo". Esta notícia foi divulgada quando a Coréia do Norte mostrou sua disposição de retornar à mesa de negociações, mediante um diálogo de seis lados no qual participarão, além disso, Coréia do Sul, China,Japão, Estados Unidos e Rússia.Assim o manifestou ontem em Tóquio Christopher Hill, principal negociador americano, que hoje deve reunir-se em Pequim com as autoridades chinesas para tentar estipular uma possível data para essas reuniões, que aconteceriam nesse país.Após o teste nuclear norte-coreano de outubro, o Japão impôs sanções econômicas e financeiras ao regime de Pyongyang, entre elas um veto total à exportação de produtos de luxo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.