Japão envia navio de guerra para a Península Coreana

O Japão enviou um navio de guerra para a Península Coreana, em meio a versões de que a Coréia do Norte se prepara para testar um míssil balístico e no momento em que os EUA advertem que o país comunista em breve poderá produzir o urânio necessário para fabricar armas atômicas. O subsecretário de Estado americano James Kelly advertiu que a Coréia do Norte poderá, dentro de alguns meses, produzir armamentos nucleares usando urânio. "Não podemos ainda determinar se a instalação (de reprocessamento do combustível, em Yongbyon) já está em atividade, mas o certo é que a Coréia do Norte está ultimando preparativos com esse objetivo", disse o funcionário. A Agência de Defesa do Japão anunciou nesta quinta-feira ter enviado um destróier, o Aegis, equipado com sistema ultramoderno de vigilânica, para o mar entre o Japão e a Coréia do Norte, desde sexta-feira passada. O anúncio foi divulgado enquanto o Yomiuri, o principal jornal do Japão, informava que Pyongyang estaria preparando um teste de lançamento do míssil balístico Rodong, cujo alcance aproximado é de 1.500 km - capaz, portanto, de atingir o território japonês."Não temos informação confiável de que a Coréia do Norte esteja preparando o lançamento de um míssil balístico", disse o secretário de gabinete do Japão, Yasuo Fukuda, segundo a versão que circulou dias depois de Pyongyang testar um míssil de menor alcance, a partir de um navio de guerra nas águas entre o Japão e a Coréia.O porta-voz da Agência de Defesa japonesa, Yoshiyuki Ueno, qualificou a missão naval de observação como parte das atividades regulares de patrulhamento.Em Washington, fontes militares disseram nesta quinta-feira que a Força Aérea americana reiniciou os vôos de reconhecimento no espaço aéreo internacional diante da Coréia do Norte sem enfrentar resistência alguma por parte da aviação comunista. O vôo da última terça-feira foi o primeiro desde o incidente de 2 de março, no qual quatro caças de combate norte-coreanos interceptaram um avião desarmado de reconhecimento dos EUA, o RC-135S Cobra Ball, quando este voava sobre o Mar do Japão, a mais de 27 km da costa norte-coreana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.