Japão exige entrega de norte-americano suspeito de estupro

O governo japonês exigiu hoje que o sargento Timothy Woodland, da Força Aérea dos EUA, acusado de estuprar uma japonesa na ilha de Okinawa, seja entregue imediatamente para a custódia da polícia japonesa. A Assembléia Legislativa da Prefeitura (Estado) de Okinawa adotou uma resolução exigindo a revisão do Acordo de Status de Forças, que determina as regras sob as quais os soldados dos Estados Unidos podem ser acusados por crimes cometidos em território japonês. Okinawa abriga a maior parte dos 50 mil soldados norte-americanos estacionados no Japão. "Mesmo com um crime terrível como este, os norte-americanos usam o pacto como um escudo para continuar negando nossas exigências de entrega do suspeito", declara a resolução da assembléia de Okinawa, aprovada por unanimidade. O primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, informou que transmitiu ao governo norte-americano as queixas de diversas autoridades de Tóquio para que Woodland passe para a custódia da polícia local. "Espero que os Estados Unidos entendam as emoções daqui e tomem rapidamente a decisão apropriada", disse Koizumi ao retornar de uma viagem aos EUA e à Europa. O ministro japonês das Relações Exteriores, Makiko Tanaka, telefonou hoje para o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell para pedir a entrega imediata do suspeito. Powell disse estar consultado oficiais da defesa norte-americana sobre o caso e o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, já expressou seu "profundo pesar pelo incidente".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.