Japão fará testes de resistência em todas suas centrais nucleares

Exames serão feitos em duas fases: primeira para as unidades paralisadas após 11 de março; segunda para aquelas atualmente em funcionamento

Efe,

11 de julho de 2011 | 02h59

TÓQUIO - O governo do Japão informou nesta segunda-feira, 11, que fará testes de resistência em todos os reatores nucleares do país em duas fases, uma primeira para as unidades paralisadas após o dia 11 de março e outra para aquelas atualmente em funcionamento.

 

A reabertura dos 35 reatores que permanecem inativos no país por precaução ou por revisões rotineiras após 11 de março será discutida assim que termine a primeira fase desses testes, detalhou o porta-voz do governo japonês, Yukio Edano, sem detalhar as datas previstas para isso.

 

Os controles nos 54 reatores do Japão serão supervisionados por um comitê de especialistas nucleares e servirão para avaliar sua resistência perante desastres naturais de grande magnitude e calibrar seus pontos fracos.

 

A segunda fase dos testes só começa quando se der por concluída a primeira e analisará os 22 reatores que neste momento estão operacionais ao longo do arquipélago, segundo Edano, citado pela agência Kyodo.

 

O Japão, cuja provisão de energia depende em 30% da fissão nuclear, poderia enfrentar uma situação de séria escassez energética no caso de não se restabelecer os reatores das usinas nucleares que estão paralisadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.