Japão fecha o círculo do G-7 em torno de Islamabad

O vice-ministro das Relações Exteriores do Japão, Seiken Sugiura, chegou nesta quarta-feira a Islamabad para oferecer ajuda econômica e estreitamento dos laços comerciais.Com isso, completou-se o círculo de membros do G-7 (grupo dos sete países mais industrializados do mundo) que vieram retribuir ao presidente Pervez Musharraf a decisão de cooperar no esforço contra o terrorismo islâmico. Na segunda-feira, a embaixadora dos Estados Unidos em Islamabad, Wendy Chamberlin, anunciou o relaxamento das sanções comerciais impostas ao Paquistão depois do golpe militar de outubro de 1999, além do levantamento das sanções relativas aos testes nucleares realizados em 1998.Na terça, uma delegação de alto nível da União Européia veio oferecer 20 milhões de euros em ajuda humanitária emergencial para o Paquistão assimilar o fluxo de refugiados afegãos e mais uma série de medidas de médio e longo prazo, como a redução das tarifas alfandegárias para os produtos têxteis paquistaneses e a reabertura de créditos para programas de cooperação e desenvolvimento. O governo japonês já havia anunciado no dia 21 uma ajuda emergencial de US$ 40 milhões, além do rescalonamento da dívida paquistanesa e do respaldo a novos empréstimos.Em reunião com o chanceler paquistanês, Abdul Sattar, o vice-ministro japonês "elogiou a posição tomada pelo Paquistão, expressou seu desejo de fortalecer a cooperação entre os dois países no campo econômico e prometeu contribuir para a assistência humanitária", informou o porta-voz da chancelaria, Riaz Khan. Por meio do porta-voz, o governo paquistanês condenou o ataque desta quinta-feira à embaixada dos Estados Unidos em Cabul. Segundo Riaz Khan, "o Paquistão desaprova atos de violência como esse".O Paquistão é o único país que ainda mantém relações diplomáticas com o governo afegão. Os outros dois países que chegaram a reconhecer o regime do Taleban, Emirados Árabes Unidos e Arábia Saudita, romperam as relações diplomáticas nos últimos dias.O porta-voz reiterou a visão paquistanesa segundo a qual é importante manter a embaixada do Afeganistão em Islamabad funcionando, como único canal de comunicação do Taleban com o mundo exterior.Todos os diplomatas paquistaneses já foram retirados do Afeganistão, "por razões de segurança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.