Japão gastará bilhões em sistema de defesa antimíssil

O governo do Japão aprovou planos para gastar bilhões de dólares em um escudo contra mísseis balísticos desenvolvido pelos Estados Unidos, como parte de uma reformulação de filosofia de defesa. Segundo analistas, essa reformulação reflete a crescente preocupação com um suposto programa de armas nucleares mantido pela Coréia do Norte, mas também poderia servir para antagonizar a China.A decisão do governo do primeiro-ministro Junichiro Koizumi, de autorizar um programa que custará cerca de 1 trilhão de ienes (cerca de US$ 10 bilhões), ocorre em um ano no qual o país lançou seu primeiro satélite de espionagem e aprovou uma lei para fortalecer os poderes emergenciais do Exército.Por meio de um comunicado divulgado nesta sexta-feira para explicar a decisão do governo de comprar o sistema de defesa, construído pelos EUA com o objetivo de derrubar mísseis de alcance superior a mil quilômetros, Yasuo Fukuda, porta-voz de Koizumi, referiu-se diplomaticamente à proliferação de mísseis e armas de destruição em massa."Não se trata de um programa dirigido a um país específico", garantiu Fukuda aos jornalistas. Segundo o analista independente Tetsuo Maeda, é importante esperar a resposta da China. "É difícil acreditar que o governo esteja gastando todo esse dinheiro apenas por causa da Coréia do Norte. Isso certamente aumentará a importância militar do Japão no restante da Ásia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.