Kim Kyung-Hoon/Reuters
Kim Kyung-Hoon/Reuters

Japão isola em ginásios vítimas de enchentes

A necessidade de manter o distanciamento físico por causa da pandemia reduziu a capacidade dos abrigos de emergência

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2020 | 20h31

TÓQUIO - Pelo menos 80 mil policiais, bombeiros e agentes da Guarda Costeira fazem buscas para encontrar 12 pessoas que estão desaparecidas na região da ilha de Kyushu, no sudoeste do Japão, que foi devastada por inundações e deslizamentos de terra. Autoridades confirmam 52 mortes. 

“É uma corrida contra o tempo”, disse Yutaro Hamasaki, um funcionário do governo regional. “Precisamos acelerar o ritmo porque o tempo está acabando. Não vamos parar.”

As cheias dos rios da ilha derrubaram pontes e transformaram estradas em lagos, o que obriga as equipes de resgate a usar canoas ou helicópteros. 

Quatorze mortes ocorreram em uma casa de atendimento especial para pessoas com deficiência. Os funcionários não conseguiram retirar os pacientes a tempo. 

A necessidade de manter o distanciamento físico por causa da pandemia reduziu a capacidade dos abrigos de emergência.

Na cidade de Yatsushiro, as autoridades transformaram um ginásio em base para receber famílias desabrigadas. Todas foram separadas por divisórias de papelão para evitar a propagação do vírus. 

No entanto, de acordo com a imprensa local, algumas pessoas preferiram dormir em seus automóveis por temerem uma contaminação. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.