Japão já contabiliza quase 9 mil mortos por terremoto e tsunami

Previsão é que número de vítimas ainda aumente; 12.664 pessoas continuam desaparecidas

Efe,

22 de março de 2011 | 00h33

 

TÓQUIO - O número de mortos pelo terremoto e o posterior tsunami do dia 11 no Japão foi atualizado para 8.928 e o de desaparecidos, para 12.664, segundo o último boletim da polícia japonesa.

 

Onze dias depois do terremoto de 9 graus no litoral nordeste do Japão, o pior desastre natural no país após a Segunda Guerra Mundial, a previsão é que o número de vítimas ainda aumente, enquanto se tenta reconstruir as estruturas danificadas para atender aos desabrigados.

 

 

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

especial Especial: A crise nuclear japonesa

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

mais imagens Galeria de fotos: Tremor e tsunami causam destruição

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

 

 

Do total de mortos, 4.080 foram identificados e 2.990 já foram entregues às suas famílias.

Cerca de 320 mil pessoas foram evacuados de suas casas a 2.100 abrigos temporários em 16 províncias, segundo a última apuração da agência local Kyodo.

 

Entre eles se encontram os 200 mil evacuados nos arredores da usina nuclear de Fukushima, onde técnicos e militares lutam dia e noite para diminuir a temperatura de seus reatores para evitar vazamento radioativo.

 

Segundo os números oficiais, em Miyagi houve 5.364 mortos, além de 2.773 em Iwate e 735 em Fukushima, enquanto os desaparecidos são contados aos milhares nessas três províncias, as mais devastadas.

 

Mais de 600 réplicas já sacudiram o território do Japão depois do terremoto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.