Japão lança nova busca de grande escala aos desaparecidos pelo tsunami

No próximo sábado tragédia completa 100 dias; 15.441 pessoas morreram

Efe,

16 de junho de 2011 | 14h33

TÓQUIO - O governo japonês lançou nesta quinta-feira, 16, uma nova operação de busca em grande escala para tentar encontrar os corpos de milhares de desaparecidos nas áreas atingidas pelo terremoto seguido de tsunami em 11 de março passado.

 

Segundo a emissora pública NHK, cerca de 4 mil agentes da polícia, das Forças de Autodefesa (Exército) e dos bombeiros percorrerão até o próximo sábado, 18, algumas das cidades mais afetadas pela catástrofe na província de Miyagi, como Ishinomaki, Kesennuma e Minami Sanriku.

 

Apenas em Miyagi, há cerca de 4,7 mil desaparecidos, o que representa mais da metade das 7.718 pessoas não localizadas por ocasião do terremoto e do tsunami, que provocaram também a pior crise nuclear mundial em 25 anos e inúmeros danos materiais.

 

A estimativa é que as seguradoras japonesas terão de enfrentar um pagamento superior a 1 trilhão de ienes (mais de US$ 12,39 bilhões) em indenizações aos desabrigados, segundo dados divulgados pela agência de notícias local Kyodo.

 

Até o momento, foram pagos 974,5 bilhões de ienes (mais de US$ 12,073 bilhões) em seguros pelo terremoto, o que significa que foram cobertos 91,5% das 668.773 reivindicações apresentadas, destacou a agência.

 

No sábado, a pior tragédia que atingiu o Japão desde a Segunda Guerra Mundial completa 100 dias. A catástrofe deixou 15.441 mortos e 7.718 desaparecidos, segundo os últimos dados da polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.