Japão manterá caça à baleia mesmo após decisão de tribunal internacional

O Japão declarou nesta sexta-feira que irá realizar uma temporada de caça à baleia bastante reduzida no noroeste do Pacífico neste ano, apesar da decisão de um tribunal internacional do mês passado contrária ao programa de caça na Antártica.

Reuters

18 de abril de 2014 | 13h26

O programa de "caça científica de baleia" de Tóquio, que existe há décadas mesmo sendo polêmico, sofreu um golpe no mês passado, quando o Tribunal Penal Internacional (ICJ, na sigla em inglês) ordenou a interrupção da caça anual no Pacífico, o que levou o Japão a cancelar as temporadas de 2014 e 2015.

A caça no Pacífico, não tão conhecida internacionalmente, não foi mencionada na decisão, que solicitou aos japoneses que reexaminem seu programa de caça à baleia em geral. Ainda assim, na temporada 2012-2013, a ação no Pacífico abateu três vezes mais baleias que na Antártica.

O ministro da Agricultura, Florestas e Pesca, Yoshimasa Hayashi, disse que a decisão sustentou a noção do "uso sustentável das baleias como recurso".

O Japão vem argumentando há anos que a maioria das espécies de baleias não está ameaçada e iniciou o que chama de caça científica à baleia em 1987, um ano depois que uma moratória internacional entrou em vigor.

(Por Elaine Lies)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOBALEIASCACA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.