Japão: Mori desmente renúncia

O primeiro-ministro do Japão, Yoshiro Mori, desmentiu nesta segunda-feira a possibilidade de deixar o cargo. Segundo informações da executiva do Partido Liberal Democrático (PLD), divulgadas no sábado, a renúncia de Mori deveria acontecer ?provavelmente? em meados de abril. Líder japonês com o pior índice de aprovação popular desde a desde a Segunda Guerra Mundial, Mori conta hoje com apoio de apenas 6% do eleitorado. Fontes ligadas ao encontro do PLD no sábado disseram que o premier teria declarado que pretendia antecipar a convenção do partido - para a escolha de um novo líder - e deixar o governo tão logo o Parlamento aprovasse o orçamento de 2001. A votação está marcada para 1 de abril. "Nem eu nem os cinco membros da liderança do PLD entendemos isso como uma declaração de minha intenção de renunciar", declarou Mori à comissão do orçamento da câmara alta do Parlamento, nesta segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.