Japão nega querer se reunir com EUA e Coréia do Sul

A chancelaria japonesa negou nesta quinta-feira, 26, a informação de que o governo estaria planejando uma reunião trilateral com Estados Unidos e Coréia do Sul. A intenção seria consolidar uma posição comum em torno da atividade nuclear de Pyongyang.A notícia apareceu em meio a crescentes temores, surgidos assim que o governo de Seul hesitou em unir-se aos Estados Unidos e Japão para punir a Coréia do Norte pelo teste nuclear realizado no dia 09 de outubro.De acordo com a agência noticiosa Kyodo, que citou como fonte funcionários do governo não identificados, a reunião entre os países aliados aconteceria em Seul e incluiria os principais representantes em torno da crise nuclear norte-coreana.A informação foi negada pelo porta-voz da chancelaria japonesa. Já o vice-chanceler sul coreano, Lee Kyu-hyung, afirmou nesta quarta-feira que uma reunião entre os três países pode ocorrer em algum momento apropriado.Ainda segundo a agência, o objetivo do encontro seria aumentar a cooperação entre os três países e acertar as bases para a reunião de trabalho entre EUA, Japão, Coréia do Sul, mais Rússia e China, que acontecerá durante o fórum de Cooperação Econômica Ásia Pacífico no Vietnã em novembro.Segundo a notícia, o Japão insiste que a crise deve ser resolvida entre as duas Coréias, Estados Unidos, Japão, China e Rússia. Porém, a Coréia do Norte não aceita uma reunião entre os seis, antes que Washington anule as restrições financeiras que impôs. O país também pede uma reunião bilateral com os EUA, o que vem sendo negado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.