Japão: Noda refuta precondição para diluir Parlamento

O primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, afirmou que, embora um orçamento suplementar tenha de ser decretado, a aprovação de medidas econômicas adicionais não é uma precondição para que ele convoque eleições antecipadas. "Uma recuperação econômica é de máxima importância", declarou Noda. "Mas (medidas econômicas adicionais) não são uma precondição para a dissolução do Parlamento", acrescentou.

DANIELLE CHAVES, Agência Estado

02 de novembro de 2012 | 08h57

Noda vem afirmando que a aprovação do projeto de lei de emissão de bônus para cobrir o déficit do país, que revisa os distritos eleitorais, e a criação de um fórum nacional para debater a reforma da seguridade social são necessárias para "preparar o ambiente" para uma dissolução da Câmara Baixa do Parlamento. A oposição, por sua vez, tem pressionado o primeiro-ministro a especificar o momento em que a dissolução será feita.

O premiê também comentou que é "um grande passo adiante" a decisão tomada nesta quinta-feira pelo presidente do oposicionista Partido Liberal Democrático, Shinzo Abe, de concordar em iniciar deliberações sobre o projeto de emissão de bônus após semanas de recusas.

Tudo o que sabemos sobre:
JapãoParlamentoeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.