Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Japão organiza 'resposta' à Pyongyang com apoio de EUA e Seul após novo teste militar

Cooperação com a China e Rússia também está nos planos do líder nipônico para pressionar Coreia do Norte a abandonar testes militares

O Estado de S.Paulo

14 Maio 2017 | 02h13

TÓQUIO - O primeiro ministro do Japão, Shinzo Abe, disse que ministros das Relações Exteriores do país nipônico e da Coreia do Sul conversaram por telefone para discutir o último teste balístico de Pyongyang. O conselheiro de segurança do Japão, Shotaro Yachi, também falou com o seu homólogo dos Estados Unidos, disse Shinzo Abe a repórteres. 

"Vamos coordenar de perto com os Estados Unidos e a Coreia do Sul para responder a essa situação". 

Ele acrescentou que os três países também buscam cooperação com a China e a Rússia para pressionar a Coreia do Norte a cumprir as resoluções do Conselho de Segurança da ONU para parar os testes militares e nucleares. 

O lançamento de um míssil que voou por meia hora e atingiu atitudes inesperadas antes de cair no Mar do Japão é um desafio direto ao novo presidente sul-coreano, Moon Jae-in, eleito há quatro dias, e ocorre em um momento de escalada de tensão na região. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.