Japão: Ozawa deixa partido governista após alta de taxa

Ichiro Ozawa, um dos dirigentes peso pesado do governista Partido Democrático do Japão (PDJ), disse hoje que está deixando a legenda, juntamente com outros 51 parlamentares. A decisão mina o apoio do primeiro-ministro Yoshihiko Noda, menos de uma semana depois de ele ter conseguido a aprovação, pela Câmara Baixa nipônica, do projeto de lei para elevar o imposto sobre as vendas de 5% para 10% nos próximos três anos.

Agência Estado

02 de julho de 2012 | 04h18

A decisão de Ozawa é mais um capítulo na dramática carreira do político de 70 anos, apelidado de "destruidor" pelos meios de comunicação por instigar a divisão em uma série de partidos políticos em mais de duas décadas.

Com essas defecções, o PDJ tem sua maioria na Câmara reduzida, aumentando as perspectivas de Noda ser forçado a deixar o cargo, caso mais rebeldes do seu partido sigam o exemplo. A aprovação de um voto de desconfiança obrigaria o primeiro-ministro, que está no posto desde setembro de 2011, a pedir demissão ou dissolver o Parlamento e convocar uma eleição geral. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.