Japão parabeniza Brasil e Turquia por acordo com o Irã

País asiático ressalva que situação ainda é grave, após decisão de Teerã de seguir com o enriquecimento

Efe

20 Maio 2010 | 06h12

O Japão elogiou o acordo para troca de urânio acertado por Brasil e Turquia com o Irã, mas ressaltou que a situação continua sendo grave já que Teerã se reserva o direito de seguir enriquecendo urânio a 20%.

 

Segundo informou nesta quinta-feira, 20, o Ministério japonês de Exteriores, o chefe da diplomacia japonesa, Katsuya Okada, falou na quinta-feira com seus colegas do Brasil e Turquia, Celso Amorim e Ahmet Davutoglu, aos quais manifestou seu respaldo ao acordo para o manejo de urânio iraniano.

 

Amorim e Davutoglu, por sua parte, asseguraram a Okada que o  pacto oferece a oportunidade de resolver o conflito com o Irã pela via diplomática, informaram fontes de Exteriores citadas pela agência local Kyodo.

 

O acordo, fechado na segunda-feira passada, estabelece que o governo de Teerã enviará à Turquia seu urânio pouco enriquecido em troca de receber no prazo de um ano combustível nuclear para seu reator científico.

 

Okada assegurou a seus colegas do Brasil e Turquia que o Japão acompanhará o assunto de perto, e o tema deve ser discutido nesta sexta-feira, com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, em um encontro em Tóquio.

Mais conteúdo sobre:
Japão urânio Brasil Turquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.