Japão pede a Pyongyang que contenha suas ameaças

Coreia do Norte avisou que a intercepção de seu satélite seria considerada uma ação de guerra

Efe,

09 de março de 2009 | 05h58

O Japão pediu nesta segunda-feira, 9, à Coreia do Norte que reduza suas ameaças contra os países que tentem interceptar o lançamento de seu satélite, que se acredita se tratar de um míssil de longo alcance, informou a agência local Kyodo. Kim Jong-il é reeleito com 100% dos votos  Pyongyang ameaça se seu satélite for interceptado O chefe do Gabinete ministerial japonês, Takeo Kawamura, pediu a Pyongyang que "seja comedido nas ações que vai tomar já que afetam à estabilidade regional" e advertiu que o lançamento de um míssil ou satélite seria uma violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Kawamura disse que as Forças de Autodefesa (Exército japonês) estão juntando informações constantemente e preparando a segurança de seu território, embora não tenha dito se aumentou o nível de alerta, segundo Kyodo. A Coreia do Norte avisou que a intercepção do lançamento de seu satélite de comunicações seria considerada uma ação de guerra e seria seguida de um contra-ataque contra o país responsável por essa medida.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteCoreia do SulJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.