Japão pede intervenção da ONU no Iraque

Rebeldes xiitas expulsaram tropas ucranianas da cidade iraquiana de Kut, e o Japão pediu que as Nações Unidas interfiram para deter a escalada de violência no Iraque. Desde a explosão de violência xiita, nenhum dos aliados dos americanos na ocupação falou em deixar o país. Antes do início da crise, porém, o governo espanhol, recém-eleito, se comprometera a retirar seus 1.300 homens do Iraque, a menos que a ONU assuma. Em Tóquio, o porta-voz do governo, Yasuo Fukuda, disse que a ONU deve intervir ?num estágio inicial? para deter a violência. ?Em vez de apenas usar a força, podemos considerar outras maneiras de deter a violência?, disse, sem elaborar.Em Kiev, o Ministério da Defesa ucraniano informa que soldados do país retiraram 20 autoridades internacionais - americanos, britânicos, poloneses e outros - da prefeitura de Kut, após o ataque xiita. Os civis e as tropas agora ocupam um acampamento fora da cidade.Na cidade de Karbala, tropas polonesas mataram Muntadhir al-Mussawi, um importante assessor do instigador da rebelião xiita, o líder religioso Muqtada al-Sadr. Mais tarde, populares carregaram o corpo de al-Mussawi pelas ruas cantando ?hoje libertaremos Karbala dos judeus?.Comandantes espanhóis persuadiram outras lideranças xiitas a pedir a al-Sadr que pare com a ocupação de delegacias de polícia e santuários na cidade sagrada de Najaf, mas informam que ?ainda não há uma situação estável?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.