Japão pede que Coreia do Norte retome diálogo nuclear

Para governo japonês, Pyongyang deve 'escutar humildemente a opinião internacional e voltar ao diálogo'

Efe,

15 de abril de 2009 | 06h41

O Japão pediu nesta quarta-feira, 15, à Coreia do Norte que retorne ao diálogo sobre a questão nuclear, após o anúncio na terça-feira do regime comunista de que não participará mais desse processo devido à condenação da ONU a seu recente lançamento de um foguete.

 

Veja também:

linkReino Unido critica Coreia do Norte por romper com AIEA

linkCoreia do Norte diz a ONU que irá produzir bomba de plutônio

linkHillary: Coreia do Norte deu 'resposta desnecessária'

linkChina mantém discurso conciliador após ameaça norte-coreana

linkGilles Lapouge: Coreia do Norte põe em risco sonho de Obama

video Roberto Godoy analisa a tensão entre Coreia e EUA

lista Conheça o arsenal de mísseis norte-coreano

 

"A opção mais prudente para Coreia do Norte é escutar humildemente a opinião internacional e voltar ao processo de diálogo", disse o ministro porta-voz japonês, Takeo Kawamura, citado pela agência de notícias local Kyodo.

 

O processo foi iniciado em agosto de 2003 com a participação das duas Coreias, Japão, China, EUA e Rússia, para buscar a desnuclearização norte-coreana em troca de incentivos econômicos, mas ontem o regime comunista anunciou que "já não participará mais dessas negociações".

 

A Coreia do Norte ameaçou também reforçar seu poder nuclear, anunciou que interrompe sua colaboração com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e que os inspetores internacionais que vigiam a atividade do reator de Yongbyon deverão abandonar o país "o mais rápido possível".

 

Kawamura exigiu à Coreia do Norte que aceite a declaração do Conselho de Segurança e tome ações concretas de acordo com a condenação internacional, ainda segundo a Kyodo.

 

Perante a escalada de tensão, os chanceleres japonês, Hirofumi Nakasone, e sul-coreano, Yu Myung-hwan, devem se reunir amanhã em Tóquio para falar sobre a situação da Coreia do Norte.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteJapãodiálogo nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.