Japão pode assumir parte dos custos da desnuclearização coreana

País exige uma solução para seqüestro dos japoneses pelo regime norte-coreano nas décadas de 1970 e 1980

Efe,

06 de novembro de 2007 | 04h12

O Japão pode assumir parte do custo da desnuclearização da Coréia do Norte, dentro das negociações dos seis países envolvidos no processo, disse nesta terça-feira, 6, o ministro de Relações Exteriores japonês, Masahiko Komura. "Devemos conseguir que a Coréia do Norte desmantele as suas três instalações e, num dado momento, todas as outras", disse Komura, segundo a agência Kyodo. Komura não descartou a possibilidade do Japão contribuir para pagar o custo da desnuclearização. "Não se trata de uma ajuda para a Coréia do Norte, portanto imagino que teremos que considerar a possibilidade", disse. O Japão tem se negado até agora a contribuir com a ajuda à Coréia do Norte em troca da desnuclearização, estipulada nas negociações de seis lados. Antes, exige uma solução para o problema dos japoneses seqüestrados pelo regime norte-coreano nas décadas de 1970 e 1980. A Coréia do Norte iniciou na segunda-feira, 5, o processo para desabilitar as três principais instalações de Yongbyon, o maior complexo nuclear do país, com ajuda de especialistas americanos, segundo confirmaram fontes oficiais dos Estados Unidos. A iniciativa havia sido acertada dia 3 de outubro, em Pequim, durante as negociações de seis lados entre as duas Coréias, EUA, China, Japão e Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.