Japão pode dar assistência ao exército dos EUA

O primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, disse após encontro com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que seu país planeja oferecer uma ajuda não-militar às forças norte-americana, como assistência médica, ajuda a refugiados e transporte de suprimentos no caso da força militar ser usada no combate ao terrorismo. "Nós japoneses estamos ao lado dos EUA no combate a terroristas", disse Koizumi.Bush disse que conversou com o líder japonês sobre meios de cortar fundos aos terroristas e declarou estar muito satisfeito com o anúncio da Arábia Saudita, que cortou relações com o Taleban. A nota divulgada pela Arábia Saudita dizia que o Taleban estava difamando o Islã ao esconder e apoiar terroristas.O presidente norte-americano também disse a Koizumi que seria "extremamente difícil" para ele visitar o Japão em outubro, como está agendado. Bush disse que a visita pode não ser possível por causa de "várias circunstâncias", disseram funcionários do governo.Bush havia programado uma visita ao Japão antes do encontro de cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec, em inglês), marcado para 21 e 22 de outubro, em Xangai. O governo norte-americano não informou se ele participará do encontro da Apec.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.