Japão pode reativar primeira usina nuclear depois do terremoto

Com a reativação da unidade, seria possível restabelecer uma das centrais paralisadas e, se o Estado garantir segurança, em breve, será possível reativar os reatores 2 e 3

Efe,

29 de junho de 2011 | 02h54

TÓQUIO - As autoridades da localidade de Genkai (sudoeste do Japão) apoiaram nesta quarta-feira, 29, a reabertura de dois reatores de sua usina nuclear, o que daria sinal verde ao primeiro restabelecimento de uma das centrais paralisadas no Japão depois de 11 de março.

 

O prefeito de Genkai, Hideo Kishimoto, afirmou que, se o Estado garantir a segurança da central, "em breve" transferirá sua decisão de autorizar a reativação dos reatores 2 e 3 à operadora Kyushu Electric, informou o diário Nikkei em sua edição digital.

 

O anúncio do prefeito de Genkai aconteceu após um encontro com o ministro da Indústria japonês, Banri Kaieda, que nesta quarta-feira inaugurou, com uma visita a essa localidade, uma rodada de reuniões com autoridades provinciais para tratar da reabertura das centrais paralisadas.

 

A usina de Genkai permanece paralisada por controles de rotina e após o desastre de 11 de março não retomou sua atividade.

 

Há 11 dias, Kaieda fez uma chamada para a reabertura de 35 dos 54 reatores nucleares paralisados desde o início da crise nuclear, a fim de garantir a provisão elétrica à indústria japonesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.