Japão pode se opor a escudo antimíssil

O primeiro-ministro Junichiro Koizumi nãodescartou se opor aos planos dos Estados Unidos de construiremum escudo antimíssil, dizendo hoje que o Japão precisa"considerar cuidadosamente" sua posição. Os comentários, durante um "questionamento" de Koizumi noParlamento, marcou um afastamento da posição governamental decompleta neutralidade. "Temos de considerar cuidadosamente a questão, que tem enormeinfluência na segurança global", afirmou Koizumi. Perguntado pelo líder do Partido Democrático, Yukio Hatoyama,se o sistema antimíssil dos EUA poderia provocar uma corridaarmamentista global, Koizumi respondeu: "Não podemos descartaresta possibilidade". A nova posição de Koizumi foi revelada em meio a umacontrovérsia em relação a notícias de que a ministra do ExteriorMakiko Tanaka havia expressado dúvidas sobre o planejado sistemaamericano. Suas declarações, que teriam sido feitas a colegas da Itália eAustrália, provocaram um furor no Japão porque elas iriam contraa posição oficial de Tóquio de que "entende" os planos deWashington. A China, Rússia e a maioria das nações da União Européia seopõem ao sistema antimísseis. Tanaka tem negado ter feito tais comentários, mas elesprovocaram acusações de que o governo está enviando sinaisinconsistentes e hostis aos Estados Unidos, o principal aliadodo Japão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.