Japão pode ter novo pacote de gastos

O primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, reverteu aparentemente o curso de seu governo, ao pedir a seus ministros uma avaliaçao sobre a possibilidade de lançar um novo pacote de gastos públicos para impulsionar a economia local. A decisão levanta dúvidas sobre o empenho do premier em cumprir com sua agenda de reformas, considerada o pilar de seu poder político. "Nós discutimos a possibilidade de um orçamento suplementar sob várias perspectivas", afirmou Toshiro Mutoh, alto funcionário do Ministério das Finanças, após encontro com Koizumi. Segundo autoridades, nenhuma decisão foi tomada ainda, mas os analistas consideram que já está acertado o lançamento de mais um aporte de recursos públicos. A discussão agora deverá ser sobre o tamanho do orçamento. O jornal "Nihon Keizai Shimbun" informou que o pacote deve totalizar entre 2 trilhões e 3 trilhões de ienes (US$ 16,27 bilhões-US$ 24,5 bilhões), com recursos destinados à renovação urbanística e à área de bem-estar social. A discussão sobre o novo pacote foi desencadeada apenas 4 dias após a Câmara Alta do Parlamento japonês ter aprovado um orçamento suplementar de 3 trilhões de ienes (US$ 24,5 bilhões). Os economistas afirmam que o lançamento de um segundo orçamento suplementar é virtualmente inevitável, embora o aumento do déficit público possa abalar a promessa eleitoral de Koizumi de manter o endividamento mobiliário do governo em um nível inferior a 30 trilhões de ienes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.