Japão prorrogará sanções contra Coréia do Norte em seis meses

O Japão alega que a Coréia do Norte mantém cidadãos japoneses seqüestrados desde os anos 1970 e 1980

EFE,

30 de setembro de 2007 | 05h02

O Japão vai prorrogar por mais seis meses as sanções econômicas que impôs à Coréia do Norte por não enxergar avanços nas negociações com o regime comunista sobre a questão dos japoneses detidos por Pyongyang, informou neste domingo, 30, a agência de notícias japonesa "Kyodo". "Basicamente não houve progressos no tema dos seqüestros", declarou o novo chefe de gabinete japonês, Nobutaka Machimura. Por isso, o Governo japonês "não está disposto a eliminar nem reduzir as sanções". No entanto, o Executivo japonês não descartou a possibilidade de retirar as sanções econômicas que afetam a Coréia do Norte se houver progressos nas conversações com Pyongyang. O Japão alega que a Coréia do Norte mantém cidadãos japoneses seqüestrados desde os anos 1970 e 1980 para treinar a seus serviços de inteligência. Após o teste nuclear de Pyongyang em outubro de 2006, o Governo de Tóquio proibiu as importações e a entrada de todos os navios norte-coreanos em suas águas territoriais, e restringiu a entrada de norte-coreanos e as exportações de certos produtos do Japão para o país comunista. No início do ano, o Japão já prorrogara as sanções em seis meses, período que seria concluído em outubro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.