Japão protesta contra filme sobre matança de golfinhos

Protestos de nacionalistas japoneses marcaram a estreia, neste sábado, do documentário "The Cove" ("A Cova"), sobre a matança de golfinhos nos cinemas do Japão. O filme foi premiado com o Oscar de melhor documentário de longa metragem em 2010 e mostra como um grupo de cineastas usou câmeras ocultas para documentar a matança de golfinhos pelos pescadores da aldeia japonesa de Taiji.

AE-AP, Agência Estado

03 de julho de 2010 | 15h55

"The Cove" tem como apresentador o ambientalista Rick O''Barry, que foi treinador dos golfinhos que apareciam na série de televisão norte-americana "Flipper". A prefeitura de Taiji e a cooperativa de pescadores local defendem a matança de golfinhos como uma tradição secular, embora a tecnologia usada na caça aos mamíferos marinhos seja moderna. A matança de golfinhos também é praticada em outras regiões do Japão - assim como a caça de baleias -, mas praticamente não há consumo das carnes desses animais.

O documentário estreou em apenas seis cinemas em todo o Japão; alguns deles estavam vazios no primeiro dia. Outros 18 cinemas planejam exibir o filme no futuro. No cinema de arte Image Forum, em Tóquio, cerca de 30 manifestantes nacionalistas gritaram slogans contra o filme e agitaram bandeiras imperiais japonesas do tempo da II Guerra Mundial. A polícia teve de intervir para separá-los de um grupo de ambientalistas e evitar brigas.

"Eu não sabia sobre a caça de golfinhos. Não importa se é TV ou cinema, os japoneses têm o direito de saber sobre essas coisas", disse Tomokazu Toshinai, de 32 anos, ao entrar no cinema. "Eu concordo com os manifestantes aqui, que dizem que a forma como o filme tratou o tema é problemática. Acho que precisamos aprovar a liberdade de expressão, mas a questão é até que ponto podemos esticá-la", declarou o executivo Yasutomo Maki, de 51 anos.

No mês passado, três salas cancelaram a planejada exibição de "The Cove" depois de protestos de manifestantes nacionalistas e de uma campanha de telefonemas. A questão se transformou em um debate sobre a liberdade de expressão e o direito à informação, com os principais jornais do Japão condenando os cancelamentos em seus editoriais. O Yokohama New Theater, um cinema pequeno perto de Tóquio, obteve uma ordem judicial para manter os ativistas nacionalistas à distância, depois de eles fazerem vários protestos às suas portas.

Alguns cinemas estão tentando mostrar os dois lados da história. Uma sala em Nagoya anunciou que vai exibir "The Cove" junto com o documentário japonês "Os Baleeiros e o Mar", de 1998, que apresenta uma visão favorável à matança de baleias.

Um dos argumentos dos nacionalistas contra "The Cove" é o fato de o filme incluir uma entrevista com Paul Watson, fundador do grupo ambientalista internacional Sea Shepherds ("pastores do mar"), famoso por atrapalhar as operações dos baleeiros japoneses no Oceano Antártico. Watson é considerado um terrorista no Japão e, a pedido das autoridades japonesas, está na lista de criminosos procurados da Interpol.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosJapãogolfinhosfilme

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.