Japão reabre diálogo sobre as ilhas Dokdo

O Japão enviou hoje seu vice-ministro de Assuntos Exteriores à Coréia do Sul para retomar as conversasbilaterais sobre as ilhas Dokdo, principal divergência entre os dois países. A intenção do emissário japonês, Yasuhisa Shiozaki, é que ocontato com as autoridades sul-coreanas "ajude a melhorar os laços bilaterais, que é o que os dois países querem", disse o diplomata ao chegar a Seul. Ele quer conhecer osdetalhes do plano anunciado em janeiro pelo governo sul-coreano, que planeja realizar o estudo oceanográfico do local em julho.A nova fonte de preocupação para as difíceis relações diplomáticas entre Tóquio e Seul foi a visita às Dokdo feita hoje pelo presidente do partido governista sul-coreano e ex-ministro da Unificação, Chung Dong-young.Fontes oficiais citadas pela agência de notícias "Yonhap"informaram que a visita do líder do partido Uri reflete a nova posição lançada pelo presidente sul-coreano, Roh Moo-hyun, em relação a esta disputa.Chung, principal mediador sul-coreano no processo de distensão entre as Coréias, é um dos candidatos com mais chances de suceder Roh Moo-hyun na eleição presidencial do próximo ano. Desde a década de 1950, a Coréia do Sul mantém uma pequena base na maior das duas ilhotas Dokdo, como marco de sua soberania sobre o território. O Japão, entretanto, considera estas ilhas, chamadas Takeshima pelo país, como parte de seu território nacional. Em abril, a tensão cresceu quando o Japão decidiu enviar dois navios de prospecção científica ao local. A Coréia do Sul respondeu com o envio de barcos dePatrulha às Dokdo, com a ordem de capturar ou afundar navios do Japão que tentassem entrar.Após intensas negociações, que quase terminaram em um confronto naval, o Japão decidiu não enviar seus dois navios de pesquisa e a Coréia do Sul se comprometeu a suspender, por enquanto, seus planos de pesquisar o leito submarino da área em conflito.Na semana passada, o presidente sul-coreano voltou ao assunto e acusou o Japão de "negar a completa libertação e independência da Coréia".Confronto históricoO Japão ocupou a península coreana de 1910 até 1945, quando foi derrotado na Segunda Guerra Mundial. "O assunto das Dokdo não é só uma questão de território, mas dehistória", disse hoje o líder do partido Uri.Chung afirmou que a Coréia do Sul deve fazer tudo que forpossível "para deter os planos do Japão de transformar este assunto em uma disputa territorial internacional". Caso o projeto seja concretizado, haveria as condições para um novo conflito pelas ilhas, e o frágil acordo que reduziu a tensão entre os países há oito dias ficaria de lado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.