Japão reformula governo e reforça área econômica contra crise

Premiê Naoto Kan substitui ministros de seis pastas; veteranos da oposição fazem parte da equipe

Agência Estado

14 de janeiro de 2011 | 03h21

TÓQUIO - O novo gabinete do primeiro-ministro do Japão, Naoto Kan, começou nesta sexta-feira, 14, o trabalho no governo. A reformulação do premiê japonês implicou na substituição em seis pastas, dentre elas, várias da área econômica e no posto do "número dois" do Executivo.

 

O ministro porta-voz, Yoshito Sengoku, será substituído por Yukio Edano, ao mesmo tempo em que entraram no governo dois veteranos ex-ministros de Finanças, até agora na oposição: Kaoru Yosano, como titular de Política Econômica e Fiscal, e Hirohisha Fujii, como vice-ministro porta-voz.

 

Além disso, Kan colocou Banri Kaieda, até então responsável pela Política Econômica, como ministro da Economia, em substituição a Akihiro Ohata, o qual foi nomeado ministro de Transporte. Satsuki Eda entre no Executivo como ministro da Justiça.

 

O objetivo de Kan - que foi eleito há sete meses - com as mudanças é reforçar a área econômica do Executivo visando facilitar a aprovação das medidas para o próximo orçamento, com a possibilidade, inclusive, de negociar uma reforma fiscal. Kan disse que as modificações têm a intenção de ajudar o Japão a superar a crise econômica em que se encontra. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.