Japão reivindica vaga permanente no Conselho de Segurança

O primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, disse que pedirá para seu país a condição de membro permanente do Conselho de Segurança da ONU quando discursar na Assembléia Geral da organização, em 21 de setembro. "A reforma da ONU tornou-se um item importante da agenda. Quero aproveitar a oportunidade e sugerir que haja mais um membro permanente do Conselho, além dos cinco atuais: o Japão", disse Koizumi a jornalistas. Ele reconheceu, porém, que a expansão do Conselho, cujos membros permanentes são EUA, Rússia, China, Reino Unido e França, é "uma questão difícil". Outros países que pretendem a condição de membros permanentes do Conselho são Alemanha, Brasil e Índia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.